Dias de sangue e estrelas, Laini Taylor

Resenhas

Título original: Days of blood and starlightdias de sangue e estrela
Autor: Laini Taylor
Publicação: 2013 (BRA); 2012 (EUA)
Editora: Intrínseca
Páginas: 447
Gênero: ficção, literatura estrangeira, fantasia
Avaliação: 4 de 5

*Atenção: pode conter spoilers do livro Feito de fumaça e osso*

Sinopse: Karou, uma estudante de artes plásticas e aprendiz de um monstro, por fim encontrou as respostas que sempre buscou. Agora ela sabe quem é – e o que é. Mas, com isso, também descobriu algo que, se fosse possível, ela faria de tudo para mudar: tempos atrás Karou se apaixonou pelo inimigo, que a traiu, e por sua culpa o mundo inteiro foi punido. Na deslumbrante sequência de Feita de fumaça e osso, ela terá que decidir até onde está disposta a ir para vingar seu povo. Dias de sangue e estrelas mostra Karou e Akiva em lados opostos de uma guerra ancestral. Enquanto os quimeras, com a ajuda da garota de cabelo azul, criam um exército de monstros em uma terra distante e desértica, Akiva trava outro tipo de batalha: uma batalha por redenção… por esperança. Mas restará alguma esperança no mundo destruído pelos dois?

Dias de sangue e estrelas é o segundo volume da trilogia Feita de fumaça e osso, que já foi resenhado aqui. No primeiro volume nós conhecemos Karou e sua misteriosa, sem dizer um tanto quanto estranha, vida. Agora que já conhecemos toda história, seguimos a saga de Karou e Akiva, a guerra entre quimeras e anjos.

Os principais pontos do primeiro livro da série eram descobrir quem era Karou, porque ela fora criada por aqueles monstros, porque Brimstone precisava de dentes e quem era aquele anjo de olhos de fogo que estava marcando os portais mágicos. Foram esses mistérios que me prenderam à leitura.
Agora, com tudo resolvido, Dias de sangue e estrelas nos convida a conhecer melhor essas duas espécies e o mundo em que eles vivem: Eretz. O livro continua sendo narrado em terceira pessoa e alternado entre o que está acontecendo com Karou, Akiva e Zuzana.

“Almas mortas sonham apenas com morte. […] Sonhos pequenos para homens pequenos. É a vida a única capaz de crescer e preencher mundos. Ou temos a vida como mestre, ou a morte.”

Depois de saber quem é, o que fez no passado e o que aconteceu com Brimstone e seu povo, Karou volta a viver entre os quimeras e se dispõe a reconstruir o exército como forma de se desculpar por tudo que ela acredita que tenha sido sua culpa, além de desejar vingança contra os anjos.
Enquanto isso, tudo o que Akiva deseja é saber se Karou ainda está viva e descobrir uma forma de tornar o sonho deles possível: acabar com essa guerra, que derrama cada vez mais sangue inocente, e viver em um mundo de paz.

“Ou temos a vida como mestre, ou a morte – dissera Brimstone, mas, nos dias banhados a sangue em que viviam, não havia o luxo da escolha. A morte regia a todos.”

Eu ainda não acabei a trilogia, pretendo terminá-la ainda esse mês, mas já a considero uma das minhas favoritas. Como eu disse na resenha anterior, o mundo criado pela Laini Taylor me encantou. Ela me surpreendeu pela sua criatividade ao usar elementos já conhecidos e ainda assim conseguir sair do lugar comum.
Além disso, toda a história não deixa de ser um reflexo do mundo em que vivemos hoje, quando a guerra, a violência e o ódio predominam sobre o amor e a compaixão. A autora escreveu passagens lindas e verdadeiras sobre isso, que todo líder de Estado deveria ler e aprender alguma coisa com ela.

“Eles haviam encontrado compaixão uma vez; por que não de novo? A compaixão, descobrira ela, produzia uma louca alquimia: uma única gota podia diluir um lago de ódio.”

Dias de sangue e estrelas perde um pouco do mistério do primeiro, mas ganha em outros pontos e não deixa de ser tão instigante e bom quanto o anterior. As páginas finais são repletas de surpresas e tensão, deixando um gostinho de quero mais para o grand finale.

Previous Story
Next Story

You Might Also Like

%d blogueiros gostam disto: