Minha relação com os livros YA

Livros

“Livros young adult têm chamado bastante atenção ultimamente no mercado. Seria legal ter indicações e a opinião sobre alguns.”

Esse foi um dos comentários que recebi na pesquisa de opinião que rolou aqui no blog no mês passado. Se você não viu os resultados, acesse aqui.
Quando li essa resposta em particular, fiquei preocupada porque realmente YA não é um estilo que vocês encontrarão com frequência por aqui e esse post é para explicar o porquê.

livros young adult

A louca do YA
Até o ano passado livros young adult dominavam minha lista de leitura (veja aqui). Eu sempre fui apaixonada por essas histórias, todas as tramas adolescentes, os questionamentos, os romances, tudo me envolvia profundamente. Eu começava um livro e não conseguia parar até chegar ao final e quando isso acontecia, eu precisava urgentemente da continuação ou de outro YA.
Eu perdi as contas de quantos livros do gênero eu já li na vida, ou tenho/tive na minha estante. Porque eu não podia ver um lançamento e já comprava. Hoje, a sensação que eu tenho é a de que eu não lia nada além de youg adult. O Buzzfeed lançava alguma lista com os melhores YA, ou os livros que todos os fãs de YA deveriam ler e eu já aumentava a wishlist.
Até que um dia eu não queria mais.

Novos horizontes literários
Já no ano passado eu comecei a abandonar algumas leituras, tirei alguns livros da estante para colocar na troca do Skoob, os lançamentos já não me interessavam mais e todo o mimimi das histórias e personagens me irritavam de uma forma absurda.
Perdi a paciência com a maioria dos YA. Maioria porque alguns ainda me interessam… Esse ano mesmo eu li alguns que adorei: Never never: part 2, Attachments, Isla and the happily ever after. Porém não consegui chegar ao fim de alguns: Duas vezes amor, Quem é você, Alaska?
Acho que amadureci literariamente falando. Posso parecer prepotente dizendo isso, mas é assim que encaro essa mudança repentina de gosto: a bookaholic que existe dentro de mim amadureceu.
E confesso que me senti bem aliviada com essa transição. Sempre li o que eu quis sem me importar com críticas e preconceitos literários, mas a minha obsessão por YA me incomodava um pouco, afinal eu era uma mulher de 27 anos ainda apaixonada por histórias de adolescentes e não conseguia fugir dessa temática.

bookaholic

E agora? Nunca veremos YA por aqui?
“Nunca diga nunca” já dizia o ditado popular. Como já mencionei anteriormente, alguns young adults ainda me interessam e eventualmente os lerei e resenharei, claro. Mas esse gênero não será o principal do blog.
Tenho variado muito os estilos das minhas leituras. Eu, que nunca curti auto-ajuda e não-ficção, estou me deliciando com esses livros. Ter lido O Pintassilgo significou muito pra mim, ter gostado pra caramba, foi quase um nirvana. O mesmo para Agatha Christie. Minha meta agora é me aventurar com o terror de Stephen King, ler a história do meu ídolo Steve Jobs e mudar meus conceitos com alguns livros de negócios.
Sair da nossa zona de conforto nos faz um bem danado, abre nossa cabeça, derruba barreiras e amplia a nossa visão literária e de mundo.
Sempre vi os livros como uma fuga da realidade, uma maneira de eu passar o tempo, viver mil histórias, me apaixonar uma e depois outra vez, viajar para diversos lugares e deixar a minha vida real e chata para trás. Hoje eu tenho consciência de que a leitura pode me proporcionar muito mais que isso e quero aproveitar ao máximo todas suas facetas.

ME ACOMPANHE NAS REDES SOCIAIS!

FACEBOOK ♥ TWITTER ♥ INSTAGRAM

 

Previous Story
Next Story

You Might Also Like

  • Isso é realmente bom, Ká! Eu ainda leio muito YA, mas desde que comecei a me viciar em leitura, nunca me prendi a estilos. Acho que faço muito com música também, então prefiro classificar entre os que gosto e não gosto, independente do estilo que for. Afinal, ou você se identifica ou não, certo? Boa sorte na nova fase de leitura =) (Principalmente nos auto-ajuda, que eu adoro haha) Beijos

    • Olha, eu nem me prendia conscientemente… É que realmente os livros que me interessavam mais eram YA ou chicklit. Quando eu tentava sair da minha zona de conforto, não conseguia tomar gosto para chegar ao final do livro. Agora os papéis foram invertidos! rsrsrs
      Mas é isso mesmo o que vc falou: vc se identifica ou não.
      Beijos!!! =D

  • Rafaela Gomes

    Muito que bem! Tá certo, acho que todo mundo deveria sair um pouquinho da zona de conforto, até mesmo porque pode se surpreender com o desconhecido. Eu nunca fui de me ater a estilos únicos de livros, leio desde os ya até os clássicos…
    Mas tenho e ainda terei preconceito com autoajuda, isso é pessoal e também por questões literárias que não cabem na discussão.
    =D

    • Eu nunca fui de me ater também, só que os YA me interessavam mais e outros que eu tntava ler, não ia pra frente. =/ Acho que é tudo questão de momento mesmo.
      Sobre autoajuda, sempre tive preconceito tbm. Já tinha comprado anteriormente e tentado ler, mas não fluiu. Hoje acho que consigo escolher aqueles que realmente estão tratando de algo do meu interesse. Eu não atribuo nenhum valor literário a essas obras, os considero livros didáticos, então pra mim não existe nenhuma questão literária aí.
      Beijos!!

  • Jaira Line

    Oi, Ká

    Eu já li uma biografia do Jobs e amei <3 o cara era foda, fiz um trabalho na faculdade sobre ele e tive que apresentar o meu professor disse que ninguém falou com tanta paixão do livro como eu hahahahhaha, ele achou que só eu li e o resto pegou resumo da internet (o que é uma tristeza). Eu também meio que passei (ainda tô passando por essa parte da vida de leitora), acho que a idade ajuda, tô com 28 agora. Já não tenho mais tanta paciencia de livro jovens como antes, ainda leio sim e ainda gosto, e como você disse "não precisa dizer nunca". As vezes pra aliviar a mente e ri um pouco ou ler algo gostosinho é uma boa, eu vi que isso mudou em mim quando não surtava com os lançamentos ya e só pegava no kindle pra ler, aquela coisa de ter o livro fisico mudou com livros desse genero. Amadurecimento literario é basicamente isso, concordo com você, menina e tinha até pensando em falar disso no blog.

    bjiss

    @JairaLine

    • Eu quero muito ler a biografia dele, aquela branca, mas quando eu olho o tamanho, fico com medo de pegar e não chegar ao final… Acho que vou fzr igual foi com Pintassilgo, ler em etapas, com outros livros no meio.
      E é isso que vc falou, às vezes eu preciso de uma leitura mais leve e geralmente parto para os YA, mas a história tem que ser interessante msm.
      E tbm não estou comprando mais.

      Beijos!!

%d blogueiros gostam disto: