Mãe de ratinhos

Anything

Como toda criança, acredito eu, meu irmão e eu sempre quisemos ter um bichinho de estimação. Um cachorro, de preferência. Apesar do meu medo de cachorros. Mas enfim, fizemos inúmeros pedidos para minha mãe (meu pai não era um problema, ele queria também), mas ela sempre foi irredutível: quem vai passear com ele?, vocês não vão cuidar, eu que vou ter que limpar, como vai ser para viajar?, etc.

Hoje em dia, confesso, ela estava certíssima. De qualquer forma, já que não podíamos ter cachorro ou gato, optamos por bichinhos exóticos, que podiam viver em gaiola, ou aquário. Primeiro eu tive um hamster, que morreu precocemente, depois um esquilo e, um pouco depois de ter adquirido o esquilo, pegamos um porquinho da Índia.

ratinhos

Ninho de rato… Os três juntinhos <3

Pikachu, o esquilo, e Neguinha, o porquinho da Índia (que nunca soubemos se era macho ou fêmea) foram vizinhos de gaiola por uns dois ou três anos, até Pikachu falecer. Neguinha tinha 4 anos quando nos deixou e foi um dia muito triste para a nossa família. Até a minha mãe chorou. Como pegamos a Neguinha bem novinha, ela foi acostumada a andar pela casa, voltar para gaiola para fazer suas necessidades e pedir comida, ela atendia quando chamávamos. Uma coisinha fofa demais.

Mas enfim, não é sobre os bichinhos do passado que quero falar, mas dos meus bichinhos do presente: Winky, Sirius e Snape. Meus três ratinhos twister. Umas bolinhas de pelo fofas, barulhentas e pentelhas. Amo.

Winky e Sirius

Winky e Sirius

Mas por que ratos?

Muita gente não gosta de ratos… Acham que eles são feios, nojentos e mimimi. Mas gente, eu não crio rato de esgoto, okay? São ratinhos criados em cativeiros para o fim de domesticação (tem gente que cria com o fim de alimentação de répteis). Eles são fofos e dóceis.

Porém, inicialmente, minha intenção era pegar um mini coelho. Você já viram um? Coisinha mais fofa. Mas um amigo já havia me falado dos ratos twister e quando eu comentei com ele minha ideia, ele voltou a falar sobre todas as maravilhosas coisas que os ratinhos eram capazes de fazer. Me convenceu.

Era para eu ter 3 fêmeas, mas devido a uma grande confusão, que não vem ao caso, acabei com 3 machos. Três porque eles são animais altamente sociáveis, que precisam viver em comunidade. Machos porque eu não sou criadora, então precisa ser todos do mesmo sexo para evitarmos a procriação indesejada.

Snape comendo um cereal <3 Coisinha mais fofa

Snape comendo um cereal.

O que eu não imaginava…

Era que esses bichinhos exigiam tantos cuidados e tanto espaço. Sério. A gaiola deles é um mini palacete, mas todo esse espaço não basta, eles precisam sair de lá um pouquinho, todos os dias, para não ficarem estressados num ambiente fechado.

Eles realmente ficam mais estressados e imploram para que eu abra a porta da gaiola. Fico com dó, mas nem sempre consigo ficar muito tempo supervisionando os seus movimentos. Confesso que sou uma mãe ausente. Não queria, mas a vida é assim.

A alimentação também foi algo que me deu dor de cabeça no começo. Comprei uma, que diziam ser a recomendada, mas depois fiquei sabendo que só aquela ração não era suficiente, eu precisava reforçar a alimentação deles com verduras e legumes. Agora encontrei uma completa e só dou uma frutinha de vez em quando, para adoçar a vida deles.

Quando eu faço isso acontece algo bem divertido de se assistir. Eu dou um pedaço para cada um, em mãos (ou patinhas). Eles pegam e saem correndo para um canto da gaiola. O Snape, muito sem vergonha, guarda o pedaço dele e depois sai correndo para pegar o pedaço dos outros dois.

Assim começa uma brincadeira de pega-pega e esconde-esconde entre eles. É muito divertido! Morro de amores. <3

Quando eu chego perto da gaiola, eles se matam na beirada para me alcançar

Quando eu chego perto da gaiola, eles se matam na beirada para me alcançar.

Saúde

Ratinhos ficam doentes e eu fico desesperada sem saber o que fazer. O Sirius está com algum problema respiratório, eu achei que fosse resfriado, mas não tenho certeza. Em alguns momentos ele está bem, mas em outros tem umas crises de espirro ou a respiração fica bem pesada.

Fico tão mal, tão preocupada. A primeira coisa que faço quando chego em casa é me certificar de que ele está vivo. Estou adiando, mas vou ter que procurar um veterinário e ele provavelmente vai passar inalação e antibiótico para o Sirius.

Como eu nunca tive problema com o Pikachu e a Neguinha, fiquei bem surpresa com a fragilidade da saúde desses bichinhos. Sem contar que me sinto uma péssima mãe, relapsa, que não consegue nem cuidar de ratinhos de estimação.

Mas enfim, só espero que ele melhore logo e fique tudo bem.

Meu Sirius fofucho. Confesso que tenho um favorito.

Meu Sirius fofucho. Confesso que tenho um favorito.

Conclusão

Eu amo meus pequenos. Demais. Pode parecer uma escolha não muito tradicional, mas o carinho é o mesmo que você tem pelo seu cachorro, ou gato, ou qualquer outro animal.

Da mesma maneira que dá tanto trabalho quanto. A diferença é que eles são pequenos e você consegue mantê-los dentro de uma gaiola. Mas ela deve ser limpa até duas vezes por dia, eles precisam passear, você precisa dar atenção, carinho, brincar.

Sem contar que a expectativa de vida deles é bem menor (4 anos) que a da maioria dos outros bichos de estimação. E como a saúde deles é frágil, esse tempo pode ser menor ainda.

Quando eles morrerem, não sei se terei mais, ou se escolheria algum outro bichinho. Se isso acontecesse hoje, eu não teria nenhum outro animalzinho. Definitivamente não estou num momento para dar conta dessa responsabilidade.

E vocês, algum bichinho? Quais?



ME ACOMPANHE NAS REDES SOCIAIS E ASSINE A NEWSLETTER!

FACEBOOK  TWITTER  INSTAGRAM  SNAPCHAT

 

Previous Story
Next Story

You Might Also Like

%d blogueiros gostam disto: