Lost in Translation, Ella Frances Sanders

Resenhas

Autor: Ella Frances Sanderslost in translation
Publicação: 2014
Editora: Ten Speed Press
Páginas: 112
Gênero: não-ficção, arte, línguas
Avaliação: 4 de 5 estrelas
Onde comprar: Buscapé | Livraria Cultura

Você sabia que na língua japonesa existe uma palavra para expressar a forma como a luz do sol é filtrada através das folhas das árvores? Ou que tem uma palavra finlandesa para a distância que uma rena pode viajar antes de precisar descansar?
Lost in Translation dá vida a mais de 50 palavras que não tem tradução direta em inglês com belas ilustrações de suas afetuosas, mordazes e engraçadas definições. Frequentemente essas palavras fornece um conhecimento sobre a cultura de onde elas vêm, como a palavra em português do Brasil para correr seus dedos pelo cabelo de uma pessoa querida, a palavra italiana para ser levado às lágrimas por uma história, ou a palavra sueca para a terceira xícara de café. (texto traduzido por mim da sinopse disponível no Goodreads)

 Para começar, essa não é bem uma resenha como as outras, já que esse livro não nos conta uma história, logo não possui uma narrativa ou personagens para serem avaliados e criticados.
O que me fez comprar Lost in Translation foi a minha paixão pela comunicação e vontade de ser poliglota, depois foi o design lindo que ele tem. Esse é um livro para se ter, ler, guardar e depois de um tempo pegá-lo novamente para uma releitura, que pode ser feita em alguns poucos minutos.

“Language wraps its understanding and punctuation around us all, tempting us to cross boundaries and helping us to comprehend the impossibly difficult questions that life relentlessly throws at us.”

Lost in Translation é recheado de palavras bem diferentes, em línguas mais diferentes ainda, inclusive algumas palavras são quase impossíveis de serem pronunciadas!
Mas não podemos esquecer que são palavras intraduzíveis no inglês, porque encontrei uma ou outra que temos em português. Da mesma forma que encontramos palavras em português que não existe no inglês… Achei interessante porque são duas, uma está como “portuguese” e a outra  é “brazilian portuguese”.

cafuné

“O ato de afetuosamente correr seus dedos pelo cabelo de alguém que você ama.” Achei fofo!

Apesar de ter sido um investimento bacana e ter curtido o livro no geral, fiquei um pouco decepcionada com algumas das palavras escolhidas. Explico: eu achei que todas as palavras escolhidas para o livro teriam alguma relação com nossas emoções, mas me decepcionei.
Palavras como “tretar” (com uma bolinha, que não sei fazer nesse teclado, em cima do A), que significa a terceira xícara de café em sueco. Entendem o que quero dizer? Isso não significa absolutamente nada para mim. Diferente de “razliubit” do russo: se desapaixonar, um sentimento agridoce. Uma das minhas palavras favoritas do livro.

saudade

“Um vago, constante desejo por algo que não existe e provavelmente não pode existir, um desejo nostálgico por alguém ou algo querido e que foi perdido.” Achei a explicação confusa, e vocês?

 

ME ACOMPANHE NAS REDES SOCIAIS!

FACEBOOK ♥ TWITTER ♥ INSTAGRAM

Previous Story
Next Story

You Might Also Like

  • Nádia Tamanaha

    Também adorei a ideia do livro e, realmente, o achei muito bonito visualmente. Mas o fato de ter palavras “nada a ver” dá uma decepcionada mesmo. Será que não tem ou não vai ter uma Parte 2?
    Beijos

    • Oi, Ná!

      Eu dei uma pesquisada e não encontrei nada… Uma pena! Mas se tivesse, eu só compraria se encontrasse palavras mais interessantes do meu ponto de vista.

      Beijos!!

%d blogueiros gostam disto: