Paz nas redes e amor aos internautas

Redes Sociais

Eu amo as redes sociais, desde os primórdios. Sempre me interessei por qualquer meio de se comunicar pela internet: chats, blogs, ICQ, MSN, Orkut, Tumblr, Twitter, Facebook… As possibilidades que eles proporcionam são incríveis e isso me fascina.
Mas o que mais me espanta até hoje é a maneira como as pessoas utilizam essas ferramentas. Essa semana eu li um texto da Bia Granja, criadora do Youpix, na revista Galileu, entilado “A era do textão“. Nele, ela fala de como nós usamos as redes para expressar nossa opinião para o mundo.

“As redes sociais viraram um poço de rage e haterismo. Estamos vivendo a “era do textão”, desencadeada por uma noção importante e saudável de aque a internet nos deu poder para opinar e encontrar outras pessoas que corroboram e compartilham o que dizemos. A internet nos deu voz, audiência, e agora tudo o que queremos é ter opinião formada sobre tudo e fazer um textão sobre isso.”

Além disso, ela complementa dizendo o quanto ficamos intolerantes com a opinião alheia e como, depois de um dia lendo tantos posts e tweets com ideias contrárias às nossas, nós nos sentimos esgotados sem saber o porquê.
No meu post “Belém, Belém, nunca mais estou de bem!“, já falei um pouco sobre como as relações de amizade mudaram com o Whatsapp e as diversas mídias sociais. Com os comentários que recebi, concluí que elas podem tanto ajudar a retomar laços há muito perdidos, como prejudicar amizades e relacionamentos de anos.

redes sociais

Futebol, política e religião: a santíssima trindade
Nós ouvimos desde pequenos: futebol, religião e política são coisas que não se discutem. Porém, com o advento da internet, as pessoas esqueceram dessa regra de ouro e é como se sentissem um dever de deixar claro sua posição e impô-la aos demais.
O “problema” desses assuntos é que eles são movidos por uma paixão. Já tentou colocar bom senso dentro de alguém fanático por algo? É uma batalha perdida antes mesmo de começar. Eu falo isso por mim e pela quantidade de pessoas que já tentou apontar defeitos em Harry Potter. Eu não aceito, não quero ouvir, cale a boca que você não sabe do que está falando e saia daqui antes que eu quebre a sua cara e não se atreva a mencionar Harry Potter na minha frente de novo. Quem nunca?
O que eu já vi de discussões pesadas na timeline (Twitter e Facebook) e amizades sendo desfeitas em época de eleição e dias de jogo. Para melhorar as discussões, atualmente política e religião andam juntas… A situação é séria.
Um exemplo, na última terça-feira (05) tivemos um panelaço durante o pronunciamento da presidente (ou presidenta, como preferir) Dilma. Eu estava em um curso e não vi, nem ouvi nada, mas bastou acessar o Facebook ao final da aula para me atualizar. Ao mesmo tempo, um colega de curso comentou algo assim comigo: “Nossa, rolou uma briga aqui no grupo da família. Teve um panelaço, aí um primo falou alguma coisa do PT, um outro que é petista não gostou, respondeu, aí saiu do grupo.”
Claro que tem quem leve tudo numa boa, na esportiva, sabe que a partir do momento que resolveu expor o que acha na rede, está sujeito a receber respostas a favor ou contrárias e as aceita.
As mídias sociais são tão bacanas… Por que infestá-las de discussões desnecessárias? Fica chato.

Preconceito? Hoje em dia?
Imagina… Na rede, isso não existe mais. Mas isso é assunto para outro post.

Faça amor, não faça guerra
Finalizarei o post com outra citação da Bia:

“Quando foi que a internet virou essa grande dor de estômago? Tem muita coisa legal e construtiva rolando na -grande rede mundial de computadores-, foque seu tempo e energia nelas, mude seu humor, torne-se mais produtivo e seja feliz. PAZ!”

Lembrando sempre que você pode deixar de seguir as pessoas no Twitter e no Facebook (sem desfazer a amizade) se não estiver satisfeito com as publicações de alguém. Não precisa comprar briga… Os times, as fés e os partidos vão continuar os seus caminhos sem sofrer o menor abalo, enquanto você vai ficar sem um amiguinho importante na sua vida.
Essa é a minha opinião e tem gente que vai concordar, assim como discordar.

Previous Story
Next Story

You Might Also Like

  • Como eu postei esses dias no próprio facebook: “em um relacionamento sério com o botão deixar de seguir.”
    Melhor coisa que já inventaram! É tanto chorume sendo despejado que o melhor remédio é ignorar. Descobri que existe vida depois desses botões. e ela é linda. hauhauahuaa
    Mas as vezes o comentário é tão ignorante que o dedo coça pra responder, aí quando vamos ver já foi tudo despejado e começa a bola de neve sem fim…
    Mas, vivendo e aprendendo.
    =]

    • Verdade, Rafa!
      Eu mesma já deixei de seguir várias pessoas por falta de paciência com tanto mimimi sem noção. Mas como vc disse, às vezes é difícil de ignorar!

%d blogueiros gostam disto: